07 de setembro de 2022

Tereza Cristina fala sobre a importância dos 200 anos de Independência do Brasil

O bicentenário resgata histórias marcantes e de extrema relevância para o país

  • ESPALHE ESSA NOTÍCIA
  • FacebookTwitterWhatsAppTelegramLinkedIn
ESPALHE ESSA NOTÍCIA
  • FacebookTwitterWhatsAppTelegramLinkedIn

Foi em um sábado, dia 7 de setembro, há 200 anos, que o Brasil começou oficialmente a escrever um novo capítulo de sua história, agora, como um país independente. Fez suas próprias leis, definindo seu caminho como nação livre, deixando de pagar altos e injustos tributos para Portugal.

Com um enredo cheio de conflitos, intrigas, amor, perdas e conquistas, os príncipes, princesas, igreja, reis e intelectuais, foram os protagonistas do primeiro capítulo dessa história, que o povo brasileiro continua escrevendo até os dias atuais. Nossa independência foi feita de muitos momentos marcantes e curiosos.

Participação das mulheres

Você sabia que o decreto de independência foi assinado por uma mulher? Isso mesmo! A Imperatriz Maria Leopoldina da Áustria, esposa de Dom Pedro I, assinou o decreto que anunciava o Brasil oficialmente separado de Portugal, no dia 2 de setembro, no Rio de Janeiro, antes que o Imperador desse o famoso grito de independência.

Ela foi nomeada, por Dom Pedro I, como Chefe de Estado e Princesa Regente interina do Brasil, durante a ausência dele, que viajaria a São Paulo para resolver conflitos políticos que poderiam impedir o processo de Independência.

Aconselhada pelo intelectual José Bonifácio de Andrada e Silva, considerado o “Patriarca da Independência”, a assinar o decreto, dona Leopoldina foi ousada e demonstrou coragem ao não ceder às exigências e ameaças vindas de Portugal.

Processo de Independência

Mas a independência não se resume apenas em um ato, não foi um processo pacífico e teve muito sangue derramado. Anos antes, movimentos como a Conjuração do Rio de Janeiro (1784), a Conjuração Baiana (1798), a Revolução de 1817, em Pernambuco e a Conjuração Mineira, em Minas Gerais (1789), já lutavam por mudanças.

O dia 7 de setembro representa o ponto de partida para uma democracia que precisa ser cada vez mais justa e respeitada. Representa a luta pela liberdade do povo brasileiro, de sua liberdade de expressão e de pensamento.

Atuação de Tereza Cristina nas comemorações

A deputada federal e candidata ao Senado, Tereza Cristina, integrou a “Comissão Especial da Independência”, na Câmara dos Deputados, responsável por elaborar e viabilizar as comemorações dos 200 anos da independência do Brasil, em 2017 e 2018.

“A independência do Brasil é um dos fatos mais importantes da nossa história. Foi a nossa conquista de independência da Coroa Portuguesa. Muitas tentativas já tinham acontecido, inclusive, Tiradentes morreu por essa causa. Mas foi Dona Leopoldina, quando recebeu a carta da Coroa Portuguesa, mandando que Dom Pedro voltasse a Portugal, aconselhou o marido que estava fora do Rio de Janeiro, a proclamar a Independência. Após se reunir com o conselho, foi ela que assinou esse decreto. Eu acho que isso é muito importante, nós estarmos comemorando. O Brasil completa 200 anos de liberdade e de independência política, explicou.”

As comemorações do Bicentenário da Independência do Brasil já começaram. No dia 22 de agosto chegou ao Brasil, o coração de Dom Pedro I. Pela primeira vez, em quase 200 anos, Portugal permitiu que a relíquia fosse trazida ao Brasil, onde permanecerá exposta à visitação pública no Palácio do Planalto, de 25 de agosto a 5 de setembro. O retorno a Portugal será no dia 8 de setembro. No dia 7 de setembro, data da Independência do Brasil, o coração fará parte das celebrações na capital do país.

O Congresso Nacional realizará uma sessão solene, no dia 8 de setembro, com a presença dos presidentes de Portugal, de Cabo Verde e da Guiné-Bissau. Na ocasião, será inaugurada uma exposição permanente, retratando o Brasil e seus 200 anos de independência. Outras celebrações com eventos culturais e solenidades serão realizadas em diversas cidades brasileiras. O Banco Central também vai homenagear a data, lançando duas moedas comemorativas dos 200 Anos da Independência do Brasil.

Movimento #ProdutorPatriota

No período em que foi Ministra da Agricultura, Tereza Cristina, convidava os produtores a hastear bandeiras do Brasil em suas propriedades para celebrar a Semana da Pátria. A ação ficou famosa nas redes com a hashtag #produtorpatriota. E por que não, estender esse convite a todos que têm orgulho de ser brasileiro e da história do Brasil, e querem demonstrar seu patriotismo?

“Em 2019, na Expointer, em Porto Alegre, eu sugeri que todos os produtores rurais pusessem uma bandeira na porta de sua fazenda, de sua casa, da sua empresa. Essa iniciativa super exitosa, recebeu o nome de “Produtor Patriota”. Todos tinham orgulho ao fazer esse gesto, de exibir a bandeira, a gente recebeu milhares de fotos das pessoas mostrando a sua bandeira, no trator, na porta da fazenda. E nesse ano, esse 7 de setembro muito especial que comemora os 200 anos da Independência do Brasil, eu acho que todo mundo deveria, os que já tem a bandeira, trocar por uma nova e os que não têm, colocar onde ela não esteja ainda tremulando”, explicou, convidando a população a aderir ao movimento.

Notícias

28 de novembro de 2023

CAE aprova projeto de Tereza Cristina que proíbe corte de verba para defesa agropecuária

Projeto garante recursos para inspeção da qualidade dos alimentos.

Ler mais

24 de novembro de 2023

Entenda como ficou o novo Projeto de Lei dos defensivos agrícolas

A Comissão de Meio Ambiente aprovou projeto que modifica as regras de aprovação e comercialização de agrotóxicos

Ler mais

Senado limita poderes individuais de ministros do STF

22 de novembro de 2023

Ler mais

Comissão de Meio Ambiente aprova modernização do registro de defensivos agrícolas

22 de novembro de 2023

Ler mais

CAE isenta Embrapa de taxas para registros de pesquisas e produtos

22 de novembro de 2023

Ler mais