Indústria

A industrialização de Mato Grosso do Sul sempre foi uma bandeira empunhada pela deputada federal Tereza Cristina para incrementar o desenvolvimento de Mato Grosso do Sul, mesmo antes de ela assumir o cargo na Câmara dos Deputados.

Com Tereza no comando da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agrário, Produção, Indústria, Comércio e Turismo (Seprotur), o Estado conheceu todo este potencial industrial recebendo 2.600 novas indústrias, a maior parte delas, captadas pela própria Tereza Cristina. Ela ainda ajudou a diversificar a produção, aumentar as exportações, modernizar tecnologias e fez crescer a oferta de emprego neste período.

Trouxe empresas que transformaram Três Lagoas no polo mundial da celulose. Indústrias como a Fibria e a Eldorado Brasil, que fez crescer o número de trabalhos formais e informais e ajudou a diversificar a matriz econômica de Mato Grosso do Sul, foram trazidas graças ao esforço e empenho de Tereza Cristina. A cidade ainda viu aumentar o lucro do comércio e absorveu mão-de-obra local. Fábricas que foram responsáveis pelo aumento da área plantada de eucalipto no Estado devido ao grande consumo da matéria prima.

Tereza conquistou mais um grande empreendimento para seu Estado, sendo também responsável pela vinda da fábrica de proteínas de soja da ADM (Archer Daniels Midland Company), a primeira construída fora dos Estados Unidos e a primeira da América Latina, instalada em Campo Grande. A unidade já operava na Capital depois de adquirir a primeira fábrica de processamento de soja e produção de óleo existente no Estado. A expansão da fábrica este ano (2018) assegurou 140 novos postos de trabalho.

Os números positivos que Tereza Cristina conseguiu imprimir em Mato Grosso do Sul são expressivos:

– instalação de 14.279 novas empresas

– criação de 178.508 novos empregos

– Bonito foi eleito o Melhor Destino de Turismo Responsável do Mundo

– MS se tornou o 5º maior produtor de grãos do País, passando de 6,4 mi para 13,6 mi de toneladas

– exportação de carne bovina passou de R$ 4,6 bilhões para R$ 6,2 bilhões

– o PIB do Estado teve aumento de 152%, maior crescimento do Centro-Oeste e quase 50% maior que o registrado no Brasil.