Tereza Cristina cobra do MDA mais investimentos para assistência técnica na agricultura familiar

A deputada federal Tereza Cristina cobrou nesta quarta-feira (20), durante audiência pública da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural, que o governo federal desenvolva mais políticas públicas voltadas à capacitação de técnicos e agricultores familiares em todo o país.

 

“Queremos que a agricultura familiar cumpra seu papel”, afirmou a deputada ao ministro do Desenvolvimento Agrário (MDA), Patrus Ananias, convidado para participar da reunião da Comissão pela parlamentar. “Sempre trabalhei, mesmo a época que estive a frente da Secretaria de Produção do meu Estado, para que este segmento gerasse renda para quem produz. Onde esta política de capacitação foi implantada os assentamentos deram certo. Treinamos os técnicos e depois os produtores foram habilitados, e isso funcionou”, explicou Tereza.

 

Contudo Tereza afirmou categoricamente que a situação do pequeno produtor rural e do agricultor familiar, que depende das políticas do governo, tanto para produzir como para subsistir, pode se tornar ainda mais crítica. “Nesse sentido, é preciso ter claro qual a visão e quais políticas públicas, em especial da pasta do Desenvolvimento Agrário, serão feitas em prol deste segmento”, cobrou Tereza.

 

O ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias, entretanto, garantiu que o setor tem passado por avanços e que o Ministério do Desenvolvimento Agrário tem atuado na consolidação da agricultura familiar como espaço de renda e avanço dos trabalhadores rurais. “O MDA tem marcado importantes avanços para a agricultura familiar brasileira. Saltamos dos R$ 2,3 bilhões no Plano Safra 2002/2003 para R$ 24,1 bilhões no ano agrícola atual. A nossa agricultura representa 84% dos estabelecimentos agropecuários e R$ 89 bilhões do valor bruto da produção no País. Queremos transformar os espaços da agricultura familiar em áreas de convivência”, avisou.

 

A deputada Tereza Cristina prometeu ainda cuidar de perto e estreitar os vínculos com o Ministério do Desenvolvimento Agrário, em especial com as diretorias que assistem agricultura familiar. “Serei frequentadora do MDA para colaborar, mas também para fazer as críticas construtivas que nós queremos para o bem do Brasil e da agricultura familiar”, enfatizou a parlamentar.